Pular para o conteúdo
CMCC & Elas » Reportagens » Kashmea Wahi – A garota britânica com 162 pontos de QI

Kashmea Wahi – A garota britânica com 162 pontos de QI

Aos 11 anos, Kashmea tornou-se a pessoa mais jovem a acertar todas as questões do teste de inteligência

 

Em 2016, a britânica descendente de indianos Kashmea Wahi marcou 162 pontos (dos 162 possíveis) no exame de quociente de inteligência, teste que mede agilidade mental para resolver problemas de lógica. Ela está entre o 1% da população mundial capaz de gabaritar esse tipo de teste.

Ao atingir a pontuação máxima, Wahi se tornou a pessoa mais jovem do mundo a acertar todas as 150 questões desenvolvidas pelo Mensa, uma sociedade para pessoas de alto QI (quocientes de inteligência nos 2% do topo de qualquer teste de inteligência padrão aprovado).

Para acabar com as reclamações dos pais que se queixavam da estudante não dedicar muito tempo aos livros e estudos, a pequena londrina realizou o teste. Para surpresa de todos, seu resultado passou a ser equiparado com os dos cientistas Stephen Hawking e Albert Einstein, donos de um QI de 160 pontos (o número máximo atingido para maiores de 18 anos é de 161).

Apesar do entusiasmo, ao India Today, Wahi teve parcimônia com as comparações: “Acredito que ainda há muitos objetivos a serem alcançados para alguém como eu entrar no mesmo time dessas lendas.”

Vikas and Pooja Wahi, os pais da jovem gênia, seguiram no mesmo tom: “É reconfortante saber que realmente ela tem habilidade e energia que, se bem direcionados, podem levar a algo maravilhoso”.

Em entrevista ao The Quint, quando questionada sobre a preparação que fez para o teste Mensa, Kashmea explicou que prefere fazer todos os exames com a cabeça fria e que não fez nenhum estudo separado para o Mensa, apenas estudou para os exames da escola. Também contou que, como próximos passos, já começou a aprender programação para fazer aplicativos de jogos. Assista abaixo.

https://www.youtube.com/embed/SNSjO9Ybi-s

A aluna da Notting Hill and Ealing Junior School, no oeste de Londres, foi fundamental para que sua equipe escolar chegasse ao terceiro lugar no desafio de matemática de Oxford anteriormente. Ela também joga tênis e competiu em torneios de xadrez de nível nacional, ganhando medalhas e troféus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.